Quinta-Feira, 29 de Junho de 2017 - Seja bem vindo.


Instituição » História
Fonte: a a a

Capítulo 11 - Da "passagem do bastão"
capitulo_11
abertura_cap_11_fmt.jpeg

Capítulo 11

Da “passagem do bastão”

Assim, com a posse solene da novel Acadêmica, Marilene Rezende Melo, encerrava-se a reorganização básica da Academia de Medicina de São Paulo.

cap11_fig01_Foto_Dr_fmt_fmt.jpeg

Marilene Rezende Melo

Fonte: Acervo do autor.Foto: Osmar Bustos

Era preciso “passar o bastão” para alguém que pudesse solidificar a reforma empreendida, e essa missão foi dada às mãos de Yvonne Capuano.

Em verdade, foi gestão de cizânia de toda a ordem, ou seja, em vez da necessária união entre os membros de Diretoria, todos em prol de um mesmo ideal – o de elevar ao mais alto grau a Academia de Medicina de São Paulo, preencher as cadeiras vacantes e elaborar o Regimento Interno –, o que de fato ocorreu foram desavenças inconcebíveis para uma entidade que praticamente acabara de se reestruturar.

Porém, em sua gestão, houve três pontos altos: eleição sequencial à titularidade dos ilustres médicos José Vicente Barbosa Corrêa e Wilson Andreoni e, por último, a criação do Boletim Asclépio, por esforço e dedicação do Acadêmico Affonso Renato Meira.

A parte tais grandezas, o fato é que o resultado da gestão de Yvonne Capuano (2009-2010) foi que, ao final de seu mandato, houve disputa para eleição de Diretoria, o que não acontecera nem nos momentos mais tensos de sua história. Formaram-se duas chapas. Uma encabeçada por ela mesma; a outra, por Affonso Renato Meira.

cap11_fig02_jose_barbo_fmt_fmt.png

cap11_fig03_Andreoni_fmt_fmt.jpeg

cap11_fig04_Meira_20_fmt_fmt.jpeg

José Vicente Barbosa Corrêa

Fonte: Acervo do autor.Foto: Osmar Bustos

Wilson Andreoni

Fonte: Acervo da Academia de Medicina

Affonso Renato Meira

Fonte: Acervo do autor. Foto: Luigi Beneduci

cap11_fig05_Academia_fmt_fmt.jpeg

Comemoração do 117o ano da fundação da Academia de Medicina

Fonte: Acervo do autor. Foto: Jesus Carlos de Lucena

Venceu a chapa de Affonso Meira (2011-2012), que para logo imprimiu ritmo do mais alto gabarito, a levar a cabo o Regimento Interno e, de modo especial, coordenando o coroamento final da reforma iniciada em 7 de março de 2003, a promover a linda festa na Sala São Paulo, em 7 de março de 2012, quando come­morou-se os 117º anos da fundação da Academia de Medicina e a posse de vinte e sete novos Acadêmicos, que passaram pelo rigoroso processo estatutário de eleição (quatorze cadeiras que ficaram vagas desde a inicial reorganização, acrescidas de treze que se abriram por falecimento de Membros Titulares). Esse momento fez com que a centenária Academia de Medicina pudesse se ufanar de se encontrar em mais um instante elevado de sua história, organizada e plena, em um dos lugares mais bonitos do Brasil, a Sala São Paulo, com todas as cadeiras devidamente preenchidas e acompanhada das mais importantes entidades médicas paulistas e brasileiras, representadas por seus digníssimos Presidentes. Foi o quarto passo, festa da Medicina, gestão e mérito de Affonso Renato Meira (2011-2012).

cap11_fig06_Academia_fmt_fmt.jpeg

Comemoração do 117o ano da fundação da Academia de Medicina

Fonte: Acervo do autor. Foto: Jesus Carlos de Lucena

Nesses breves-longos anos de trabalho para a reorganização da Academia, muitas pessoas contribuíram direta e indiretamente. Porém, isso não teria acontecido se não fossem, desde o início, os esforços e as lutas sem quartéis de alguns poucos Acadêmicos, aos quais este livro rende homenagens: Celso Carlos de Campos Guerra, Samoel Atlas e José Pompeu Tomanik in memorian, Guido Arturo Palomba, Rui Telles Pereira, José Roberto de Souza Baratella, Luiz Celso Mattosinho França, Luiz Fernando Pinheiro Franco, José Luiz Gomes do Amaral e Affonso Renato Meira.

cap11_fig07_Celso_Ca_fmt_fmt.jpeg

cap11_fig08_Tomanik_fmt_fmt.jpeg

Celso Carlos de Campos Guerra

Fonte: Disponível em: <http://www.academiamedicina saopaulo.org.br/biografias/34/BIOGRAFIA-CELSO-CARLOS-DE-CAMPOS-GUERRA.pdf>. Acesso em: 29 de agosto de 2012

José Pompeu Tomanik

Fonte: Acervo do autor

Na linda solenidade de 7 de março de 2012, deu-se por atingido o escopo iniciado exatamente 9 anos antes, que visou à preservação do sonho imorredouro de seus criadores.

Assim, a Academia de Medicina de São Paulo, agremiação médica mais antiga do Estado, com seu brasão em perfeito lustro e conhecendo três distintos séculos (século XIX, fundação; século XX, o passado; século XXI, o presente), está totalmente pronta e preparada para receber as novas centúrias que hão de vir.

cap11_fig09_rui_telles_pereira_jpg_18_enviado_pelo_academico_fmt.jpg cap11_fig10_DSC_3604_Dr_Baratella_c_Pelerine_fmt.jpg cap11_fig11_Foto_Dr_Jose_Luiz_com_Pelerine_academia_acervo_fmt.jpg

Rui Telles Pereira

Fonte: Acervo do autor.Foto: Fotógrafo do Cremesp

José Roberto de Souza Baratella

Fonte: Acervo da Academia de Medicina

José Luiz Gomes do Amaral

Fonte: Acervo do autor.Foto: Osmar Bustos






Relacionadas
05/11/13 - Capítulo 1 - Do final do século XIX em São Paulo
05/11/13 - Capítulo 2 - Luiz Pereira Barreto, o criador
05/11/13 - Capítulo 3 - Do nascimento da Sociedade de Medicina e Cirurgia de São Paulo
05/11/13 - Capítulo 4 - Dos primeiros 50 anos
05/11/13 - Capítulo 5 - Da passagem de Sociedade para Academia
05/11/13 - Capítulo 6 - Das sedes
05/11/13 - Capítulo 7 - Dos livros de ata
05/11/13 - Capítulo 8 - Do início ao término de um período decadente
05/11/13 - Capítulo 9 - Do cisma
05/11/13 - Capítulo 10 - Do soerguimento da Academia de Medicina de São Paulo


Academia de Medicina de São Paulo
http://www.academiamedicinasaopaulo.org.br/
contato@academiamedicinasaopaulo.org.br

Academia de Medicina de São Paulo
Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 278 - 6º andar/ Sala 3
Tel.: (11) 3105-4402 - Fax: (11) 3106-5220
São Paulo - CEP: 01318-901

By RMAHOST.com